fbpx
Imagem destacada do artigo

Os anúncios do Google Shopping são ótimos para atrair trafego qualificado para seu e-commerce.

Mas, eles exigem um certo esforço no início, mas depois que o Google automatiza a maior parte do trabalho da criação a exibição desses anúncios para as pessoas certas.

Porem, essa automação também é a razão pela qual os anunciantes sentem que não têm muito controle sobre o que aparece onde.

Portanto, neste guia completo, mostrarei como você pode recuperar um pouco desse controle sobre seus anúncios do Shopping.

Falarei tudo, desde a configuração até a otimização e compartilharei recursos adicionais que permitem refinar ainda mais suas campanhas do Shopping.

Vamos começar?!

Índice

O que é o Google Shopping?

O Google Shopping é um mecanismo de pesquisa de comparação, que é um serviço que permite aos varejistas anunciar seus produtos aos pesquisadores de maneira visualmente atraente.

Isso significa que, se alguém pesquisar um produto que você vende, o Google exibirá anúncios relevantes do Shopping para seus produtos e os de seus concorrentes.

Se o usuário clicar no seu anúncio, o Google o levará diretamente para a página do produto.

Exemplo de anúncios do Google Shopping

Exemplo de anúncios do Google Shopping

A imagem acima mostra anúncios de produtos (anteriormente conhecidos como anúncios da lista de produtos ou PLAs) da consulta de pesquisa “tênis adidas” na parte superior da página.

Cada anúncio do Google Shopping inclui uma imagem, o título do produto, o preço, o nome do logista e algumas vezes algumas informações específicas do varejista, como custos de envio ou avaliações.

Atualmente, o Google Shopping é utilizado em mais de 40 países.

Por que você deve usar os anúncios do Google Shopping?

Muitas pessoas ainda iniciam a pesquisa de produtos no Google. Sendo assim, a publicidade no Google permite que você esteja exatamente onde estão seus clientes em potencial.

Nesses resultados de pesquisa, existem anúncios de pesquisa baseados em texto, nos quais você deve escrever o texto (copy) do anúncio e adicionar palavras-chave manualmente.

Mas também anúncios do Shopping, onde o Google faz muito desse trabalho para você. Seus algoritmos extraem automaticamente os dados da sua loja, criam anúncios para seus produtos e os combinam com consultas de pesquisa relevantes.

Embora os anúncios do Shopping demorem mais tempo inicialmente (deixar tudo configurado), eles exigem muito menos esforço contínuo posteriormente.

Esta é a principal razão pela qual aconselho as lojas a começarem com o Google Shopping. Há menos chances de dar errado em comparação com os anúncios da Rede de Pesquisa, o que significa que você tem menores chances de gastar todo seu orçamento, sem nem um resultado.

Primeira motivo: é a única maneira de se classificar no topo dos resultados de pesquisa do Google

Outra grande diferença entre os anúncios do Shopping e da Rede de Pesquisa é a visibilidade.

Verifique esta captura de tela de uma página de resultados de pesquisa do Google para entender melhor o que está acontecendo:

Os resultados da pesquisa do Google

Os resultados da pesquisa do Google

Como você pode ver, não há muito espaço para resultados orgânicos. E eles estão cada vez mais escaços.

Mas os anúncios da Rede de Pesquisa, também estão sendo empurrados para baixo na página.

Os anúncios do Shopping são os primeiros nos resultados da pesquisa, pois o formato visual atrai a maioria dos cliques.

Mais cliques, significam mais lucro para o Google, mas também parece estar funcionando para os logistas.

Um número crescente de varejistas estão migrando seus orçamentos de anúncios da Rede de Pesquisa para o Shopping. De acordo com uma pesquisa realizada pela Merkle , os gastos com anúncios aumentaram 38% no Google Shopping em comparação com o ano passado, enquanto diminuíram 12% nos anúncios de pesquisa.

gastos com anúncios do Google por formato de anúncio 2019

Gastos do Google por formato de anúncio 2019

O Google Shopping agora responde por 65% de todos os cliques no Google Ads e por 89% dos cliques em anúncios de pesquisa do Google sem a marca dos varejistas.

Os anúncios do Shopping também foram mais lucrativos no mesmo período, gerando mais receita para os anunciantes, 12% a mais de receita por clique do que os anúncios de pesquisa na SERP para palavras-chave sem marca.

Segundo motivo: texto vs. imagem

Se você deseja comprar tênis adidas, prefere clicar no anúncio de pesquisa da adidas ou em um dos anúncios com imagem?

Anúncios do Google Shopping x Anúncios da Rede de Pesquisa

Anúncios do Google Shopping x Anúncios da Rede de Pesquisa

Embora a Adidas tenha feito um ótimo trabalho com o anúncio de pesquisa, ela simplesmente descreve o produto. Os anúncios do Shopping mostram os produtos reais. E se um deles for exatamente o que você estava procurando, as chances são muito maiores de você clicar em um deles, não é?

Esses anúncios de produtos também podem ajudar quando os consumidores não sabem exatamente o que estão procurando. Muitos deles o usam como uma ferramenta de pesquisa para aprender sobre diferentes tipos de produtos, modelos, cores, preços, bem como achar as lojas onde podem comprá-los.

Terceiro motivo: Intenção x Interrupção

Durante a maior parte de sua vida, a publicidade foi baseada em interrupções.

Isso significa que você estava fazendo outra coisa, como assistir a um vídeo do YouTube, quando um anúncio em vídeo é exibido:

Anúncio do YouTube por Coding School

Anúncio do YouTube por Coding School

Quando este anúncio da Coding School apareceu, eu não tinha intenção de comprar um curso. Mas eu poderia querer em um momento posterior. E talvez, esse anúncio me ajudaria lembrar deles, na hora da compra.

Compare isso com os Anúncios do Shopping, que são baseados em intenção. Isso significa que os anúncios são exibidos quando as pessoas procuram ativamente uma solução ou produto.

Se estou pesquisando “new balance 574”, é um ótimo momento para os logistas exibirem anúncios exatamente sobre esse calçado:

Anúncio detalhado do Google Shopping para celular

Anúncio detalhado do Google Shopping

Para esses anúncios, as taxas de cliques e de conversão são muito mais altas.

Isso se reflete no custo por clique em um desses anúncios. A exibição de um anúncio do YouTube pode custar alguns centavos, enquanto um clique em um anúncio de produto no shopping, pode facilmente custar até 10 vezes mais.

Se tudo que te contei despertou seu interesse, vamos dar uma olhada em como o Google Shopping realmente funciona.

Como o Google Shopping funciona?

Como te falei anteriormente, os anúncios do Google Shopping são muito diferentes na forma de trabalhar que os anúncios de pesquisa comuns.

Primeiro, os algoritmos do Google processam um arquivo especial chamado feed de produto (explico mais a frente) que contém todas as informações dos produtos da sua loja.

O Google usa esses dados para corresponder seus produtos as consultas de pesquisas relevantes e para criar os anúncios reais.

As pessoas verão anúncios do shopping relevantes para seus termos de pesquisa, mostrando uma imagem do produto, com o preço e informações adicionais (como avaliações).

Se alguém gostar do que vê, clica no seu anúncio, que o leva ao seu site.

Em troca, o Google cobra por esse clique.

Vou mostrar um exemplo simples. Você vende acessórios para celulares e lança uma campanha do Shopping para aumentar suas vendas.

  1. Você fornece ao Google detalhes sobre seus produtos em um feed de produtos;
  2. Alguém procura por “carregador sem fio para iPhone 11” no Google;
  3. Os algoritmos do Google selecionam um carregador sem fio compatível com o iPhone 11 da sua loja, criam um anúncio do Shopping para ele e mostram ao pesquisador junto com outros anúncios;
  4. O pesquisador vê os anúncios e clica no seu;
  5. O pesquisador é levado à página do produto, em sua loja;
  6. O Google te cobra pelo clique.

Quanto custam os anúncios do Google Shopping?

Essa é principal pergunta que me fazem…

Assim como os anúncios da Rede de Pesquisa, você paga sempre que alguém clica em um dos seus anúncios do Shopping.

No geral, o CPC médio é de R$ 0,66, um pouco mais que a média, o CPC médio para lojas virtuais é de R$ 1,16.

Embora os cliques custem muito menos, a taxa de conversão média do Google Shopping (1,91%) também é menor que a média do Google Ads para o setor de comércio eletrônico (2,81%).

Como os cliques em anúncios de shopping são mais baratos, o custo por aquisição (CPA) também é menor, R$ 38,87, comparado a R$ 45,27  de todos os cliques em anúncios do Google.

Embora essas estatísticas mostrem as médias do Google Shopping, o desempenho REAL das suas campanhas do Shopping está em suas mãos.

Pronto para uso, as campanhas do Google Shopping podem ter um desempenho pior do que os anúncios comuns da Rede de Pesquisa, mas com os ajustes certos, há muito espaço para otimizações.

Como adicionar seus produtos ao Google Shopping?

Seu primeiro passo para começar a anunciar no Google Shopping é transformar os produtos da sua loja em anúncios do Shopping. Este processo é construído com quatro elementos:

  1. Sua loja e produtos
  2. O feed dos seus produtos
  3. Conta do Google Merchant Center (GMC)
  4. Conta do Google Ads.

Todas essas partes estão conectadas e ajudam os anúncios do Google Shopping a funcionarem com eficiência.

Eu gosto de chamar todo esse processo de “quebra-cabeça do Google Shopping”, porque pode ser um quebra-cabeça para alguém que está começando.

Nos próximos tópicos, vou mostrar como adicionar seus produtos ao Google Shopping.

Parte 1 – Criando o feed do produto

O feed dos produtos, é o coração da sua campanha do Google Shopping. Em resumo, é uma grande planilha que contém as informações dos seus produtos.

O Google é bastante rigoroso quanto quais informações incluir e em qual formato colocá-las. É por isso que é muito fácil alguma coisa dar errado ao coloca-las na planilha.

Quando isso acontece, o Google reprova esses produtos e você não consegue divulgá-los. Mas se você corrigir os erros desses produtos, assim que forem aprovados, você pode iniciar a divulgação da campanha.

Basicamente, existem duas maneiras para criar seu feed de produtos para os Anúncios do Google Shopping: gerar o feed usando um aplicativo, extensão ou ferramenta, ou fazê-lo manualmente, criando uma planilha.

Se você estiver em uma das principais plataformas de comércio eletrônico (Shopify, WooCommerce, Magento, etc.), poderá fazer o download de um aplicativo para acelerar a configuração do feed de produtos.

Vou compartilhar com você os melhores aplicativos para cada plataforma:

Shopify

Aplicativo Google Shopping – link – Apesar das classificações ruins, o aplicativo oficial do Google Shopping para Shopify funciona muito bem (eles fizeram muitas correções recentemente).

Dica: evite escolher a opção “Smart Shopping” ao configurar o aplicativo (falarei sobre o Smart Shopping mais a frente).

WooCommerce

  • WooCommerce Product Feed PRO – link
  • WooCommerce Google Feed Manager – link

Magento

  • Feed do Google Shopping – M1 (pago – Magmodules) – link
  • Google Shopping – M2 (pago – Magmodules) – link
  • Google Shopping simples – M1 (pago – Wyomind) – link
  • Google Shopping simples – M2 (pago – Wyomind) – link

Embora o Google automatize uma grande parte do trabalho, os aplicativos e extensões que listei aqui, ajudam você a exportar o feed do produto e geralmente te falam se há algo errado com ele.

Se o feed de produtos que você obtém do back-end do seu e-commerce, não estiver bem formatado, talvez seja necessário fazer algumas alterações extras antes de enviá-lo para o Google Merchant Center.

Essas configurações são validadas pelas ferramentas de gerenciamento de feed de produtos. Aqui estão alguns exemplos:

  • Channable – link
  • GoDataFeed – link
  • Vendas e pedidos – link
  • DataFeedWatch – link

Passo 2 – Configurando o Google Merchant Center

Depois que seu feed estiver pronto, você poderá criar uma conta do Google Merchant Center.

Quando você terminar, precisará reivindicar e verificar o domínio da sua loja para provar que é o proprietário. Você pode fazer isso usando o Google Analytics, o Gerenciador de tags do Google (GoogleTag Manager) ou adicionando uma metatag ao HTML do seu site.

Como enviar seu feed de produtos para o Google Merchant Center

Agora você está pronto para fazer o upload do seu feed de produtos no Google Merchant Center.

Se a plataforma da sua loja estiver conectada ao Google Merchant Center por meio de sua API (por exemplo, no Shopify), não será necessário fazer o upload do feed dos produtos, porque os dados são enviados automaticamente para o GMC.

Nesse caso, você pode pular esta seção.

Caso contrário, você deve fazer isso manualmente. Clique em “Produtos” e depois em “Feeds”.

Adicionando um feed de produto ao Google Merchant Center

Adicionando um feed de produto ao Google Merchant Center

Para adicionar um novo feed de produto, clique neste grande botão azul com o sinal de +. Você será guiado por todo o processo.

Quando terminar, e o Google terminar de processar seu feed, acesse o Diagnóstico para verificar sua integridade.

Funcionamento do feed de produtos no Google Merchant Center

Funcionamento do feed de produtos no Google Merchant Center

Quando é carregado pela primeira vez, a maioria dos feeds de produtos apresentam pelo menos alguns erros.

Não se assuste com isso, mas siga as instruções para limpar os mais urgentes (os vermelhos). Não adie isso porque deixar de corrigir os erros, pode resultar em uma suspensão da conta.

Passo 3 – Criando uma campanha do Google Shopping

Depois que seus produtos forem aprovados, o próxima passo é criar uma campanha do Google Shopping dentro do Google Ads.

Para fazer isso, você precisará de uma conta gratuita do Google Ads .

Criando uma nova campanha do Google Shopping

Criando uma nova campanha do Google Shopping

No painel do Google Ads, você pode criar uma nova campanha do Shopping clicando no sinal de mais na tela “Campanhas”.

Na próxima tela, selecione a opção “Criar uma campanha sem meta” e, em seguida, “Shopping”.

campanha sem meta

Criar campanha sem meta

 

Clique em shopping

Clique em shopping

Campanhas de Shoppng padrão vs. Campanhas de Shopping inteligentes

Depois de selecionar Shopping como seu tipo de campanha, você pode optar por configurar uma campanha padrão ou Smart Shopping.

Campanhas Smart Shopping x Padrão do Shopping

Campanhas Smart Shopping x Padrão do Shopping

Antes de você escolher, deixa eu te dar uma explicação rápida da diferença entre os dois subtipos de campanha.

Redes em que seus anúncios são exibidosRede de PesquisaRede de Pesquisa, Rede de Display, Parceiros de pesquisa, YouTube, Gmail

 Shopping padrão Shoppiing inteligente
Alcance Limitado Abrangente
Leilão Manual e automatizado Somente automatizado (maximize o valor da conversão com o ROAS desejado opcional)
Nível de controle Alto Baixo
Transparência da campanha Alto Baixo
Potencial de otimização Alto Baixo
Remarketing Opcional se você adicionar o público-alvo Incluído por padrão
Use se Você está começando Se o Shopping padrão não funcionar 🙈 ou você quer em executar suas campanhas no piloto automático

Essa falta de controle no leilão, também aparece em outras partes das campanhas inteligentes.

Você não terá informações sobre termos de pesquisa ou dados de público-alvo, e o Google fornecerá pouco ou nenhum dado sobre os canais onde seu anúncios foram mostrados.

Como o Smart Shopping é uma caixa preta, semelhante a dos aviões, você não pode fazer muito para melhorar seu desempenho.

Se você deseja ter mais controle e não deseja perder dados valiosos da campanha, considere criar uma campanha do Shopping Padrão.

Vamos continuar com a Campanha Padrão.

campanha padrão

Automaticamente vem selecionado a inteligente, mas escolha campanha padrão

Finalizando as configurações da sua campanha

Depois de selecionar seu tipo de campanha, você precisará ajustar as configurações gerais da sua campanha.

Configurações da campanha do Google Shopping

Configurações da campanha do Google Shopping

Isso inclui dar um nome à sua campanha e um orçamento (R$ 10 / dia é um bom começo), estratégia de lances (escolha CPC manual por enquanto) e os locais em que você deseja exibir seus anúncios.

 

Defina as configurações da campanha

Defina as configurações da campanha

Passo 4 – Criando grupos de anúncios do Google Shopping

Em seguida na configuração, você deve selecionar um tipo de grupo de anúncios.

Grupos de anúncios do produto no Shopping ou Anúncio de demonstração no Shpping

Grupos de anúncios do produto no Shopping x Anúncio de demonstração no Shopping

Você escolhe entre duas opções: anúncios do produto no Shopping ou Anúncio de demonstração no Shopping

Vamos entender a diferença entre esses dois tipos de grupos de anúncios.

Anúncios do produto no Shopping x Anúncio de demonstração no Shopping

Os grupos de anúncios do produto do Shopping são os anúncios do Shopping mais usados. Eles são os anúncios de produto “padrão” sobre os quais falamos neste artigo.

Para esses grupos de anúncios, você não precisa criar anúncios individuais, porque os algoritmos do Google cuidam disso para você, com base no seu feed de produtos.

Esses anúncios do produto do Shopping funcionam melhor com termos de pesquisa específicos, como “Mac Book Pro”. Quando as pessoas usam esses termos de pesquisa, elas têm uma boa idéia do que estão procurando.

Os Anúncio de demonstração no Shopping são exibidos para termos de pesquisa mais gerais e gerais relacionados ao produto, como “laptops”.

Esse tipo diferente de anúncio do Shopping permite que as lojas agrupem uma seleção de produtos relacionados para termos de pesquisa mais genéricas. Isso ajuda os pesquisadores a descobrir o produto que procuram, selecionando uma grande variedade de vendedores.

Veja como esse anúncio é exibido:

Exemplo de um anúncio do Showcase Shopping

Exemplo de um anúncio do Showcase Shopping (Anúncio de demonstração no Shopping)

Na captura de tela, você pode ver a exibição inicial dos anúncios de demonstração no Shopping, que têm uma imagem mostrando vários produtos do vendedor, o nome da loja, com um link para o site.

Embora esse tipo de anúncio funcione em dispositivos móveis e computadores, a maioria dos anúncios de demonstração no Shopping, é exibida apenas em dispositivos móveis.

Como esses anúncios aparecem um pouco diferentes dos anúncios padrão do Shopping, eles exigem mais trabalho para cada um dos seus grupos de anúncios.

Final: Criando sua campanha de compras

Depois de decidir seu tipo de grupo de anúncios preferido (usaremos os grupos de anúncios do produto do Shopping), preencha as configurações adicionais e pressione “Salvar” na parte inferior da página para criar sua campanha.

Depois da criação da sua nova campanha do Google Shopping, você terá uma campanha, um grupo de anúncios e um grupo de produtos.

Esse é um começo bem sólido, mas para obter ótimos resultados, você precisará fazer mais. Continue lendo para descobrir as melhores práticas.

Boas Práticas para anúncios do Google Shopping

Para conseguir resultados lucrativos com suas campanhas do Google Shopping, você precisa fazer mais do que apenas configurá-las.

Você precisa descobrir as partes que funcionam e colocar mais orçamento nelas, enquanto reduz os gastos com anúncios que não estão gerando resultados.

Então, topico, vamos explorar diferentes práticas recomendadas para o Google Shopping, que podem tranformar suas campanhas do Google Shopping que só perdem dinheiro, em campanhas lucrativas.

Estrutura da campanha do Google Shopping

Usar uma boa estrutura para suas campanhas do Google Shopping é uma das maiores otimizações que você pode fazer.

Melhorar a estrutura parece um pouco abstrato, então vamos dar uma olhada no que isso realmente significa.

Continuando o exemplo de antes, configuramos uma campanha parecida com esta:

  • Uma campanha
  • Um grupo de anúncios
  • Um grupo de produtos

Isso significa que estamos oferecendo o mesmo valor por clique, independentemente do produto ou do termo de pesquisa.

Então, a primeira etapa para aumentar o controle sobre seus lances é criar novos grupos de produtos usando os atributos de produtos.

O Google Ads fornece vários critérios padrões que você pode usar, como marca, tipo de produto ou mesmo o ID do item.

Critérios de produto que você pode usar para dividir seus grupos de produtos

Critérios de produto que você pode usar para dividir seus grupos de produtos

Este já é um bom começo. Mas isso fica realmente interessante quando você começa a gerenciar suas campanhas com base em informações como volume ou margem de vendas. Você pode adicionar essas informações às suas campanhas por meio dos rótulos personalizados.

Você também pode usar os mesmos atributos do produto que as categorias da sua loja, para configurar campanhas diferentes para uma marca ou categoria de produto específico. A utilização da mesma estrutura do seu site, geralmente é uma boa maneira de organizar suas campanhas.

Quando isso estiver pronto, você estará pronto para implementar uma das otimizações mais eficazes do Google Ads, o chamado lance no nível dos termos de pesquisa.

Com essa abordagem, você executa várias campanhas quase idênticas com os mesmos produtos que permitem segmentar termos de pesquisa específicos com suas campanhas do Shopping.

Você pode criar duas campanhas do Google Shopping. Uma segmenta termos de pesquisa com marca, enquanto a outra é exibida apenas em termos de pesquisa genéricos. Isso permite que você tenha lances diferentes.

Melhorar a estrutura das suas campanhas do Shopping aumentará o controle.

Mas o aumento do controle tem um preço. Campanhas mais granulares exigem mais tempo e ficarão um pouco mais complexo configurar e gerenciar.

Google Shopping e palavras-chave negativas

Se você usar palavras-chave negativas, vai evitar que seus anúncios sejam exibidos para pessoas irrelevante e de baixa qualidade, que prejudicam o desempenho de suas campanhas.

Com isso, você pode aumentar seus CTRs, taxas de conversão e, possivelmente, seu ROAS.

À procura de palavras-chave negativas no Relatório de termos de pesquisa

Busque palavras-chave negativas no Relatório de termos de pesquisa

Existem algumas maneiras de encontrar palavras-chave negativas. A mais fácil delas é procurar no Relatório de termos de pesquisa.

Este relatório de termos de pesquisa mostra todas os termos de pesquisa para as quais seus anúncios foram exibidos, incluindo o desempenho deles.

Ao passar por este relatório, você deve procurar alguns tipos de palavras-chave negativas.

  1. Termos irrelevantes: pesquise consultas que claramente desperdiçam dinheiro.
  2. Termos do concorrente: consultas de pesquisa com marca que incluem os nomes dos seus concorrentes. Pode ser tentador tentar superá-los. Mas esses anúncios geralmente são ineficazes e diminuem seu desempenho. Adicione-as como palavras-chave negativas ou analise se é lucrativo classificar para esses termos.
  3. Produtos não vendidos: são pesquisas de produtos que você ainda não está vendendo, ou não tem. Você pode excluir essas palavras-chave ou usá-las para pesquisas de mercado.
  4. Termos muito genéricos: este grupo contém termos muito genéricos (por exemplo, sapatos) que geralmente têm CTRs e taxas de conversão muito baixas. Se você deseja melhorar sua lucratividade, recomendo coloca-los como palavras-chave negativa de correspondência exata. Caso contrário, fique à vontade para (cuidadosamente) testar esses termos.

Otimize os títulos dos seus produtos

Como falei anteriormente, o feed do produto é o coração da sua campanha do Google Shopping.

Isso também significa que quaisquer melhorias que você fizer ao fornecer informações mais relevantes aumentarão a CTR e melhorarão o desempenho da sua campanha.

Felizmente, existem muitas técnicas de otimização que você pode usar para melhorar os resultados.

Você pode, por exemplo, aumentar a taxa de cliques do seu anúncio incluindo os termos de pesquisa relacionadas ao produto, que são mais populares, nos títulos.

De acordo com um experimento do Search Engine Land , a inclusão de uma palavra-chave principal na descrição do produto gerou em um lojista um aumento maciço de 1.000% no tráfego de um anúncio de produto.

Pode parecer uma coisa fácil, mas muitos anunciantes não conseguem aplicar as boas praticas de SEO em seus títulos de produto.

Se você der uma olhada nesta captura de tela, vai ver os resultados de uma pesquisa por “óleo de peixe”:

Exemplo de título do produto do Google Shopping

Exemplo de título do produto do Google Shopping

Os dois primeiros anúncios falam sobre “Óleo de peixe”, mas só o segundo fala de “Omega 3”.

Isso pode não ser um problema para alguém que sabe o que está procurando. Se eu pesquisa-se “Ômega 3”, sem saber que posso encontrá-lo no óleo de peixe, apenas o segundo e o quarto anúncio, seriam exibidos. Isso se chama campo semântico.

É importante conhecer bem como seu publico procura seu produto, e as palavras relacionadas.

Dica: Preste atenção ao limite do título do produto. Mantenha os títulos dos produtos concisos edeixe mais a esquerda as palavras-chave mais importantes.

Otimize o preço de seus produtos

Caso você tenha taxa de CTR baixa em alguns de seus produtos, isso pode significar que os preços não são tão competitivos quanto o que as outras lojas oferecem.

Se você está anunciando exatamente os mesmos produtos, não é difícil imaginar que as pessoas clicam no anúncio com o menor preço.

A solução mais fácil é baixar seus preços. Mas nem todos nós podemos fazer isso, ou mesmo ter permissão para fazê-lo.

Em vez disso, aqui estão algumas ações que você pode fazer para aproveitar melhor os preços dos produtos no Google Shopping.

  1. Identifique os produtos com baixo desempenho (CTRs, taxas de conversão, impressões, etc.) e verifique se o preço ser for o problema;
  2. Veja os preços de seus concorrentes para esses produtos e veja se há grandes diferenças;
  3. Se houver uma diferença significativa, você poderá diminuir de alguma forma?
  4. Se não pode, reduza seu CPC máximo para este item, porque será difícil competir e os cliques nele, pode ser dinheiro perdido.

Dica: o Google considera o custo total da compra. Portanto, se você não pode reduzir os preços reais do produto, verifique se pode fazer algo para diminuir ou eliminar os custos de envio.

Otimize as imagens do seu produto

As imagens do produto são uma parte importante dos seus anúncios.

Algumas lojas apresentam pequenas variações na imagem de um produto, fazendo com que elas se destaquem e aumentem as CTRs de seus anúncios do Google Shopping.

Variações nas imagens

Variações nas imagens

Embora esse possa ser um processo bastante caro (especialmente se você tiver muitos produtos), às vezes fazer coisas simples como girar um sapato (como na imagem acima) já pode fazer a diferença.

Lances no Google Shopping

Como o Google Shopping cobra por cada clique, você deve garantir que cada clique contribua para seus resultados.

Mas como você garante que não está desperdiçando dinheiro em suas campanhas do Shopping?

Obviamente, manter seus CPCs máximos baixos impede que você gaste muito no geral.

Mas se seus lances forem muito baixos, o Google não exibirá seus anúncios com tanta frequência.

Ou seja, você precisa encontrar um bom equilíbrio entre manter a boa relação custo-benefício e receber tráfego (cliques) qualificado nos seus anúncios do Shopping.

Mas com quanto dinheiro você deve começar?

Vamos falar sobre essa questão agora.

Sempre comece pequeno

Se você é novo no Google Ads ou estáiniciando sua primeira campanha do Shopping, eu sempre recomendo começar com lances muito baixos.

A razão para isso é simples.

Ao iniciar, você sempre cometerá erros e, como todo erro custa, é melhor manter os gastos com seu anúncio sob controle.

Embora, começar com um lance baixo não possa prejudicar sua campanha, um lance alto inicial pode gastar o orçamento que você reservou para o teste, sem trazer resultados.

Para garantir que sua campanha do Google Shopping seja rentável, você precisa primeiro se concentrar na QUALIDADE do seu tráfego, não na QUANTIDADE.

Tráfego de alta qualidade significa boas CTRs, baixas taxas de rejeição, taxas de conversão altas e melhores margens de lucro.

Depois de ter certeza de que seu tráfego de anúncios do Google Shopping é de alta qualidade, você pode escalar sua campanha aumentando seus lances, só depois.

Sacrificando Controle ou Tempo

Ao decidir quanto você deseja pagar por cada clique, você tem duas opções: use estratégias de lances manuais ou automatizadas.

O CPC manual oferece a você o maior controle possível, em um lance específico em um grupo de produtos ou mesmo no nível do produto.

Se você possui centenas de produtos, o lance manual pode ser um processo demorado, porque exige que você gerencie e otimize seus CPCs máximos com base nos dados fornecidos.

Por isso, o Google introduziu estratégias de lances automatizados que utilizam algoritmos e machine learning para ajustar automaticamente seus lances com base em suas metas e dados históricos.

Veja alguns exemplos de estratégias de lances automatizados que você pode usar para as campanhas do Google Shopping:

  • Custo por clique aprimorado (eCPC): com base na probabilidade de conversão de cada clique, o eCPC diminui ou aumenta seus CPCs manuais com o objetivo de aumentar as conversões.
  • Maximizar cliques: usa seu orçamento para definir lances automaticamente para obter o maior número possível de cliques nos seus anúncios.
  • Retorno desejado dos gastos com anúncios (ROAS desejado): o objetivo desta estratégia é maximizar o valor da conversão e atingir o ROAS desejado.

Ao falar sobre lances automáticos, acho importante mencionar o óbvio conflito de interesses que o Google possui.

Por um lado, eles alegam que vão trazer os melhores resultados possíveis com o orçamento do seu anúncio.

Mas, por outro lado, eles são um negócio que procura ganhar o máximo de dinheiro possível, não são uma obra de caridade.

Então, como anunciante, você deve manter essa troca em mente, sempre que faz as coisas sugeridas pelo Google.

Dica: comece com o CPC manual e colete dados da linha de base. Se você deseja automatizar, experimente primeiro o CPC otimizado (ele permite maior controle entre as estratégias de lances automatizados), compare seus resultados com a linha de base e avalie outras estratégias automatizadas da mesma maneira.

Ajustes de lance do Google Shopping

Os produtos que você está vendendo, seu setor, assim como seu público-alvo e local, podem influenciar quanto vale um clique.

Se você estiver vendendo cortadores de grama, pode não ser boa ideia exibir seus anúncios para pessoas que moram em prédios de apartamentos no meio da cidade de São Paulo. Deve ser mais lucrativo segmentar locais suburbanos, ou zonas rurais.

O mesmo pode acontecer com:

  • A hora do dia
  • O dia da semana
  • Tipos de dipositivos
  • Seu público-alvo

Com a ajuda dos ajustes de lance, você pode ajustar seus CPCs (mais altos ou mais baixos) de acordo com suas necessidades, o que ajuda a gastar seu orçamento com mais eficiência.

Você pode definir os ajustes de lances para sua campanha do Shopping para locais, programações de anúncios, públicos-alvo ou dispositivos.

Você faz isso definindo um valor percentual para ajustes de lance.

Por exemplo, se você deseja atrair mais visitantes utilizando celulares, pode definir um ajuste de lance de + 20%, o que aumenta seu lance padrão em 20% (por exemplo, de R$ 1 a R$ 1,20).

Usando públicos-alvo para anúncios do Google Shopping

Com o público-alvo, você pode segmentar pessoas que estiveram no seu site, mas sairam sem fazer uma compra.

Isso é chamado de listas de remarketing para anúncios da Rede de Pesquisa (RLSA) e permite aumentar (ou diminuir) seu lance máximo CPC com base em outras informações que você tem sobre um determinado visitante.

Alguém que abandonou o carrinho pode ser muito mais valioso do que um visitante da página do produto. Por meio do público-alvo, você pode ajustar seu lance de acordo com as ações realizadas.

Para usar um público em suas campanhas do Google Shopping, você precisa de no mínimo 1.000 pessoas nesse público.

Isso é muita gente. Então, embora você possa criar uma campanha específica para segmentar exclusivamente esses visitantes, muitas vezes esses públicos-alvo são adicionados às campanhas existentes.

Para ver isso em sua conta do Google Ads, navegue até o menu “Públicos-alvo” que você encontra no lado esquerdo da página.

Adicionando públicos-alvo à sua campanha do Google Shopping

Adicionando públicos-alvo à sua campanha do Google Shopping

Caso você ainda não tenha um público, clique no ícone de adição no meio para adicionar um novo.

Ao adicionar novos públicos-alvo, você pode adicioná-los de duas maneiras: segmentação ou modo de observação.

Segmentação x observação em públicos-alvo no Google Ads

Segmentação x observação em públicos-alvo no Google Ads

Segmentação: segmenta apenas pessoas que fazem parte do público que você seleciona. Você só usará essa opção se estiver criando uma campanha específica para segmentar esses públicos-alvo.

Observação: essa opção não limita o alcance de suas campanhas, mas você pode aumentar ou diminuir o CPC máximo com base em pessoas que fazem parte desse público.

Caso você não tenha pelo menos 1.000 pessoas nas listas que adicionou, você receberá uma notificação do Google.

Notificação indicando que seu público é muito pequeno

Notificação indicando que seu público é muito pequeno

Assim que você tiver tráfego suficiente, esses avisos devem desaparecer.

O que esperar dos anúncios do Google Shopping?

Se você é novo no Google Shopping, é sempre difícil saber o que esperar da sua primeira campanha.

Portanto, agora, mostrarei o que você pode esperar no inicio, o que é possível e como chegar lá.

O que esperar

Quando você inicia o Google Shopping, não vai obter os melhores resultados com suas campanhas imediatamente.

Mas tudo bem, porque sempre há mais espaço para melhorias.

Com o tempo, você terá acesso a mais dados, que podem ser usados ​​para otimizar suas campanhas do Shopping.

Mas, antes de fazer isso, deixa eu te falro que você pode esperar dos anúncios do Google Shopping quando está começando.

Os anunciantes com baixo desempenho têm uma CTR média de 1,91%, os com melhores desempenho têm quase cinco vezes a taxa de cliques, +9,5%.

Como você acabou de conhecer o Google Shopping, você deve esperar que sua CTR esteja perto de 1,91%, use 2% como regra geral.

Taxa média de conversão de comércio eletrônico por canal

Taxa média de conversão de comércio eletrônico por canal

Na captura de tela acima, você pode ver que os anunciantes médios, tem uma taxa de conversão de 1,42% para o Google Ads, enquanto os melhores desempenhos atingem mais de 3%.

Então, o que essas métricas significam para você? Vamos ver através de um exemplo.

Digamos que você esteja vendendo óculos de sol de R$50 com os Anúncios do Shopping.

Quando você começou, vamos usar as métricas de menor desempenho acima e o CPC médio do Shopping.

Isso significa que você terá um CTR de 1,91%, uma taxa de conversão de 1,42% e pagará R$ 0,66 por clique (média do Google Shopping).

Digamos que 50.000 pessoas tenham visto seu anúncio no primeiro mês, das quais 955 clicaram no seu site.

Isso significa um custo total de anúncio de R$ 630,3 e 14 conversões, resultando em R$ 700 em receita.

Se considerarmos o custo do produto, R$ 20 por par de óculos de sol ou R$ 280 no total, sairemos no vermelho.

R$ 700 em receita, menos R$ 280 em custo do produto e R$ 630,30 em gastos com anúncios, significa uma perda de R$ 210,30.

Vamos ver como você pode mudar isso.

O que é possível com os anúncios do Google Shopping

Depois de um tempo, você ficará melhor na exibição de anúncios. Você pode ter aprendido novas técnicas, seguido um ótimo curso e aprendido quais partes estão tendo um bom desempenho.

Usamos os benchmarks mais baixos para começar, mas digamos que seus resultados melhoraram e agora você está na parte superior dos benchmarks.

Isso significa uma CTR de 9,5%, uma taxa de conversão de 3,05% com o CPC médio em US $ 0,66.

Continuando com o exemplo de R$ 50 para óculos de sol e 50.000 impressões de anúncios por mês, 4.750 pessoas já clicaram no seu anúncio, resultando em um custo total de R$ 3.135.

Devido ao aumento da CTR e da taxa de conversão, você gerou 145 vendas pelo Google Shopping, o que significa uma receita de R$ 7.250 e um custo de produto de R$ 2.900.

Agora, nesse caso, sua receita supera suas despesas, com lucro bruto sendo de R$ 1.215 (R$ 7.250 – R$ 2.900- R$ 3.135 = R$ 1.215), uma margem de lucro de 17%.

Não há muito espaço, mas você pode ver que essas melhorias podem realmente mover a régual.

Referência contra os concorrentes

Outra maneira de descobrir o que é possível consguir com as campanhas,  é ver o desempenho de suas campanhas do Shopping em comparação com as de seus concorrentes.

Você pode encontrar essas informações nas colunas Métricas competitivas no Google Ad.

Se você estiver visualizando sua campanha do Google Shopping, poderá adicionar a “CTR de referência”, “CPC máx. CPC “,” Diferença de preço de referência do produto “e as colunas” Preço médio do produto “na visão geral de” Grupos de produtos”.

Não se concentre cegamente nessas métricas, use-as como indicadores para ver como você está.

O melhor das métricas de referência do Google é que elas estão disponíveis para todos os grupos de produtos que você tem em sua campanha do Shopping, para que você possa obter informações sobre cada uma delas.

O que é necessário para alcançar o sucesso com os anúncios do Google Shopping?

Para conseguir o que descrevi acima, você precisa de dois recursos essenciais: tempo e orçamento.

Você precisa de tempo para configurar o Google Shopping (converter seus produtos em anúncios de produtos), além de manter e otimizar suas campanhas do Shopping.

E não se esqueça: quanto mais granular você for com sua campanha, mais tempo precisará para gerenciá-las.

Como discutimos anteriormente, o Google Shopping custa dinheiro. Portanto, você deve ter algum dinheiro reservado para os Anúncios do Shopping. Se for a primeira vez, tente reservar pelo menos R$ 300 a R$ 500 como seu orçamento de aprendizado.

Você usará esse dinheiro para aprender como os anúncios do Google funcionam, além de ver o que os visitantes do Google Shopping fazem no seu site.

Dominando os anúncios do Google Shopping

Meu objetivo com este artigo foi fornecer uma visão geral detalhada do que são os anúncios do Google Shopping e o que é necessário para fazê-los funcionar para sua empresa.

Ao aprender como os anúncios do Google Shopping funcionam, como configurá-los e otimizá-los, você deu os primeiros passos para lançar seus anúncios de produtos.

No entanto, sua jornada de compras não precisa parar por aí.

Se você quiser saber ainda mais, confira o Sucesso do Google Shopping: nosso curso premium no Google Shopping.

Em uma série de vídeo-aulas, o curso te guiará pelas etapas exatas necessárias para criar uma campanha do Shopping do zero até a primeira venda com anúncios de produtos.

Nosso principal objetivo do curso não é apenas responder às perguntas de “o quê” e “como”, mas também o “porquê”, explicando os reais motivos por trás de cada etapa que você precisa seguir na sua jornada do Google Shopping.

Se você gostou, deixe seu comentário, ou faça uma pergunta. Nos vemos por aí, abraços.

Categories:

One response

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:

Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0